Os objetivos são gerados por um desejo. Um desejo que pode ser qualquer coisa. Aprender algo, criar algo, estudar sobre alguma coisa, trabalhar, exercitar, dentre outras coisas. Mas uma coisa que precisa ser dita sobre objetivos é que nem sempre o desejo estará envolvido.
Veja bem, quando concebemos a vontade de fazer algo, temos o desejo de alcançar esse ponto. Esse objetivo recém criado é algo que almejamos, mas nós trabalhamos duro para alcançá-lo? Pergunte para si mesmo quantas vezes você já se auto sabotou colocando coisas triviais atrás de seus objetivos. Isso só acontece por desejamos naquele momento outras coisas.

Aquela língua que você quer aprender e está se dedicando há semanas nela. Mas hoje seu desejo não é estudar tal língua, – embora ainda queira aprende – mas matar seu tempo assistindo um filme ou saindo para algum lugar.

Desejos são circunstanciais, momentâneos e passam. Eles se adaptam, redefinem e nos influencia na tomada de decisões. Seus objetivos continuarão o mesmo, e caso deixando de lado tal objetivo, sonho ou meta, acabamos por nos frustrar por não conseguir algo que queremos. Seja aquela promoção, um corpo ideal, dinheiro, aquela mulher que você tem interesse, todas as coisas e seus valores são dados por vocês mesmos. Ou seja, o objetivo que tu criaste baseado no desejo daquele momento, todas essas coisas foram concebidas porque atribuiu um valor algo e tu anseia por ele.

Pense isso num plano geral. As decisões que são tomadas, elas são focadas em meus objetivos ou apenas no desejo momentâneo de fazer o trivial? Quando o tempo passa e vemos que deixamos de fazer aquilo que tínhamos como objetivo. Quem você culpa pelo por tais erros?

Veja, o homem hoje é muito das vezes idealista, mas seu idealismo morre quando você apenas deseja e faz aquilo que lhe convém no momento. Esses desejos que viram vício distorcem sua visão e o faz esquecer de seus objetivos, sonhos e metas.

Por que não fazer o que apenas quero no momento? Não há impedimentos. Mas ninguém falou que a felicidade está nisso, que está em fazer o que quer na hora que quer.
A verdade, é que muito das vezes o próprio valor das coisas está na luta, no compromisso com um objetivo, com um propósito de sempre seguir em frente, apesar dos pesares, pois é no final que você conseguirá o que deseja. É esse compromisso, o objetivo como o santo grau que lhe dá energias para seguir em frente, tombo após tombo, erro após erro.
É esse objetivo que te prende ao mundo. Quão vazio é a sua força de vontade num mundo em que nada vale seu esforço?

Geon Tavares

Geon Tavares

Aristocrata, fundador desta organização, escritor e fotógrafo nas horas vagas. Sonha em restaurar o glorioso Império Romano.