Artigos

Entendendo o desejo feminino

Por 9 de setembro de 2019 setembro 12th, 2019 No Comments

As mulheres e suas primeiras impressões

As mulheres são instigadas por ações que elas mesmas dizem criticar ou utilizar de exemplo sobre como não agir com elas. Esse ponto não é sobre encontrarmos algum tipo de inconsistência na mentalidade feminina, mas perceber algo que elas mesmas não percebem ou que percebem, mas fazem malabarismos dialéticos para não admitirem. Sobre como um conjunto de comportamentos tece ações que cooptam instintivamente a adoração das mulheres e como elas reagem sobre você. E isso está ligado a nós como espécie humana, com princípios valiosos praticados em praticamente toda a história da humanidade. A razão disso é porque o que fez as mulheres amarem os homens 10 mil nos atrás é a mesma coisa que faz as mulheres amarem um homem hoje. Esse conjunto de certos atributos que funcionam com uma ferramenta que instiga as mulheres a quererem você como um parceiro amoroso são universais, obviamente tendo níveis de intensidade variadas diante de algumas culturas diferentes, mas o padrão existente é claro, porque não é sobre um fenômeno cultural, mas como instinto de procriação enraizado e muito bem desenvolvido. Essa série de comportamentos, ações, posições sociais, opiniões adversas sobre assuntos variados contam demais na forma que uma mulher vai enxerga-lo. E isso não precisa ser constatado por especialistas, qualquer pessoa naturalmente percebe esse padrão com uma pequena análise social ao longo de sua vida pessoal ou vendo na mídia, na TV, na internet, nas redes sociais e na literatura em si.

Por que mulheres de classe média alta preferem se arriscar em favelas e se relacionar com traficantes do que se relacionarem com homens pacíficos, bons, amigáveis e tranquilos, com emprego pleno e que seriam fieis a suas parceiras?

Aí que mora a raiz do problema. A minha indagação está incompleta e forçada. E essa indagação é o que muitos homens costumam fazer. Não há nada de novo aqui sendo dito. Se eu dissertasse baseado nessa premissa, estaria cometendo o mesmo erro de inúmeros escritores do tema, porém há um ponto importante que deve ser levado a sério.

Primeiro que não podemos saber se tais homens bons são realmente bons até o momento em que conhecemos e analisamos caso por caso, e a mulher que está à procura de um parceiro, seja por motivos sexuais casuais ou não, carece de informações. A mulher não tem uma bola de cristal para saber se aquele homem é amigável, tranquilo e correto moralmente. Mas também não estarei alegando que elas procuram traficantes por inocência, e realmente não é o caso. Mas a razão por elas procurarem justamente esse tipo de homem perigoso a sociedade só fortalece meu argumento. Não é de homens pacíficos, carentes e bonzinhos que as mulheres clamam, mas o oposto não precisa necessariamente ser o homem sem escrúpulos, imoral e delinquente, mas os seus comportamentos devem remeter o que há em comum em homens delinquentes e bandidos. E quais seriam tais valores ou comportamentos?

Esses valores quando juntos, aumentam seu Sex Appel para as mulheres porque elas rementem a valores civilizacionais, que instigam o ato de cópula e perpetuação de descendentes. Ou seja, o comportamento de um macho que transparece força e resiliência social e física instiga as mulheres a quererem fazer sexo. E isso é um primeiro ponto para o ato de se apaixonar por alguém. Então quando encontramos esses homens, que são sempre minoria num contexto social, pois eles costumam ser líderes naturais, que estão além do seu tempo, sem medo de pôr a cara ao risco, conseguem propiciar rupturas no ambiente onde se encontram. Essas rupturas causadas por eles chamam a atenção de outros homens em volta e principalmente das mulheres. Os outros homens podem permanecer calados ou reagir tentando deslegitimá-lo.  Isso é uma reação defensiva muito comum que ocorre muito em festas, encontros com várias pessoas e afins. Porque um novo homem que tenta ocupar uma posição de destaque, naturalmente de liderança, soa como ofensa aos de longa data que vivem naquele nicho de pessoas. Mas se uma nova pessoa chega acuado, de forma tímida, sem dizer ou falar muito, sem saber como reagir, a sua interação social é morna e sem muitas rupturas sociais o deixando com uma imagem de alguém que não apresenta perigo ou que gera atração pelas as mulheres. Se tornam no máximo colega entre as mulheres e homens com posição de destaque, mas sem causar muito alarde entre as mulheres. E por que esse tipo de homem não costuma ser o alvo das mulheres? Porque abusadores, como o caso do estuprador do parque recebeu milhares de cartas de amor através fãs e admiradoras de todo o país? Esse exemplo que soa absurdo explica muito bem o ponto que eu quero chegar. De alguma forma o estuprador do parque aguçou o sentido de mulheres de tal forma que as instigaram sexualmente por seu comportamento devasso, imoral e delinquente. Mas não é pelo o ato em si que fez elas ficaram instigadas, mas a causa da ruptura em si. O que importa é a ruptura, o ato de agir, e não do resultado ou razão do ato. Portanto, homens bons ou ruins que agem conforme esse paradigma costumam se sair bem com mulheres.

Você sabia que Hitler recebeu milhões de cartas de admiradoras? Hitler não era belo e muito menos um bom cantor, mas sua posição de líder, de destaque, quase sendo um ser messiânico para o povo alemão serviu de gatilho sexual para milhões de mulheres na Alemanha que exaltavam a imagem do seu líder de forma fanática e gritavam em histeria ao se encontrarem com seu amado líder. E isso não remete apenas a ele. Fidel Castro teve centenas de amantes ao longo de sua vida, e líderes costumam ser cobiçados pela as mulheres porque eles propiciam rupturas sociais, colocavam a cara a prova, debatem e tentam estabelecer mudanças, isso tudo é muito atrativo para as mulheres. Tais comportamentos remontam a um poder que também é atrativo para elas. Isso é tão instintivo que até em nossos parentes distantes como os macacos ocorrem os mesmos processos entre o Macho dominante e as suas fêmeas. Essa razão é determinante e um consenso entre mulheres, pois as mulheres não costumam ser do tipo dominadora, e embora as mulheres contemporâneas tenham alcançado a liberdade sexual e emancipação social, ainda costumam ser bem submissas no que diz respeito ao sexo. Então não é difícil encontrar feministas militantes sendo deveras submissas na cama e tentando de alguma forma separar sua luta política com seus fetiches sexuais. Não precisamos dizer o óbvio sobre isso. Não é difícil encontrar homens com os mesmos problemas que as mulheres, que numa onda de autoflagelação moral, se submetem às mulheres de forma servil em troca de um suposto agradecimento.

De que forma?

Bem, a gente encontra homens que se desculpam por serem homens de tempos em tempos nas redes sociais. Tal comportamento digno de pena, muito orientado por narrativas políticas e midiáticas tecem um parâmetro de culpar o homem por transgressões e comportamento considerados “machistas”. Os homens que acabam se alinhando com tais posicionamento, muitos o aceitam na expectativa de receber aprovação feminina, porque já não conseguem aprovação feminina de outras formas. Veja como exemplo eu mesmo. Sou praticamente um Fascista para a narrativa de inúmeros setores da sociedade, todo meu posicionamento político remete a um neo-patriarcalismo e uma dualidade de gênero forte e bem definida. Eu devo ser um expoente máximo de um “machista” numa ótica feminista e nem por isso tive problema em me relacionar amorosamente com outras mulheres, muito pelo o contrário, da minha fase jovem-adulta para frente não tive problema algum, inclusive algumas sendo feministas até. O interessante é que até algumas se interessaram por meu discurso, como um interesse latente devido ao impacto inicial causado por uma série de variáveis causadas por uma boa primeira impressão que instigaram a mulher em querer saber mais sobre mim. Então posso afirmar, categoricamente, que posicionamento político não é um atributo essencial que valha apena sacrifica-la apenas com o intuito de sair com mulheres. Aliás, para os homens que apenas almejam sair com mulheres casualmente, que particularmente sou contra, devem agradecer pelo os avanços da liberdade sexual feminina, pois agora não há mais instituições que regulem o ato sexual e nem que prejudiquem de forma permanente a moral da mulher, permitindo que saiam à vontade com homens. Então ela é livre para fazer sexo com quantos homens ela quiser e você pode usufruir de tal liberdade, mas embora possa parecer válido à primeira vista, não podemos esquecer todas as consequências ruins que tal permissividade causa na sociedade, degenerando-a constantemente, mas tudo sobre sociedades é sobre atos degenerativos. É um processo impossível de impedir, mas talvez a consciência limpa seja o suficiente para ser comedido no que diz respeito a isso. Pelo menos eleva sua imagem e o foco do texto não é este.

Então muito desses caras, frustrados por excelência, se submetem a mulheres de forma totalmente desonrada, se alinhando a posicionamento políticos de caráter feminista, que talvez nem concordem com eles, mas defendem para conseguir empatia das mulheres, acabam não conseguindo o afeto necessário para ter uma reciprocidade nos relacionamentos amorosos atuais. Então, essa frustração se transforma em angústia ou raiva.

Homens com mais de 25 anos e virgens, homens que querem fazer sexo com mulheres, mas são feios, não atraentes, homens que queriam ter mulheres, mas só conseguem ter um emprego mediano e observar de longe mulheres bonitas e apenas sonhar com elas. Pois embora existe uma proporcionalidade de homens e mulheres no mundo (50% de homens e 50% de mulheres), a distribuição entre aqueles que conseguem mulheres e não conseguem não é tão “proporcional e democrática” assim.

Vamos por fins didáticos classificar 5 níveis de Homens e mulheres, correlacionando à atributos como Beleza, Atração, valores e outros variáveis que são condicionantes tanto para homens que atraem mulheres, como outras condicionantes para mulheres que atraem homens. Sendo o 1 o arquétipo do homem belo e o da mulher ideal com beleza divina e 5 o completo oposto, sendo um homem feio de características pobres e sem nenhum atrativo latente e o mesmo para a mulher.

Como podemos ver, mulheres costumam visar homens de nível mais alto, e não porque se acham boas demais, mas porque homens costumam aceitar mulheres medianas sem pestanejar para conseguirem sexo fácil. A qualidade do homem é uma condicionante, mas as mulheres que são nível 5, acabam ainda visando homens nível 3 e até nível 4, que por serem medianos, sabem que suas chances com mulheres nível 1 e 2 são remotas. O problema resta aos homens nível 5 que são uma população expressiva que resta o exílio social e desolação. Não conseguem parceiras, nem atenção feminina. Dessa forma não resta nada a não ser, encontrarem outras formas canalizar sua frustração ou insatisfação apontando a culpa para as mulheres como se a grande vilã do seu fracasso fossem por causa delas e não de sua existência pífia. Eu posso soar grosso ao chamar essa classe de homens dessa forma, mas considero indefensável em pleno século XXI homens se acomodarem nesse status. Se você é feio, foque em algo que possa ao menos evoluir o conjunto da obra.  Existem inúmeros métodos e formas de melhorar sua imagem como pessoa. Você pode muito bem focar em academia, conseguir em algum grau um corpo esbelto, que propiciará uma primeira impressão muito melhor com as mulheres e estará praticando uma atividade saudável que só o ajuda. Tu nunca encontrarás um homem malhado nível 5. Seu rosto não-harmonioso não será um problema tão grande assim. Mas continuar sendo esse cara feio, barrigudo e que não sai da frente do computador não o fará conquistar seus objetivos amorosos. Porque ela deveria dar uma chance para um homem dessa estirpe? Você não daria para uma mulher feia e acomodada nessa situação, possivelmente.

Agora, raciocinemos o seguinte; por que homens comuns não possuem filas de mulheres a sua procura devido a sua gama de qualidades, digamos, excepcionais? Veja, esses homens bons, podem até possuírem um emprego estável, ou seja, podem oferecer estabilidade familiar, e isso é naturalmente algo bem visto pela as mulheres, um homem desse tipo pode oferecer uma família plena, um casamento saudável provavelmente, mas porque muitos desses homens acabam passando até décadas de suas vidas sozinhos e frustrados sem arrumar uma parceira adequada?

Isso pode ser explicado de inúmeras formas, não apenas baseado na economia sexual do valor do homem x mulher na sociedade, como também podemos explicar esses fenômenos por vias antropológicas e também nas conjunturas contemporâneas da mulher pós-feminismo.

O homem que diz que a mulher pós-feminismo ficou mais difícil precisa urgentemente ler o livro “Semper Viri” que está atualmente em pré-venda de nova tiragem(link), pois não há maior declaração infundada do que essa. Se o homem hoje possui problemas para se relacionar com mulheres aleatórias, ou está cometendo um erro enorme sobre como se comportar com elas, ou está cometendo erros ao se envolver com elas, pois acredite, não há escapatórias ou razões suficientes para inibir totalmente as chances de um homem, embora existam critérios estéticos latentes e importantes na construção de relacionamentos com mulheres, o que é inegável ao meu ver, como disse anteriormente, também não é um requisito essencial em todos os casos. Há mulheres e mulheres, e talvez em um certo grau exija além das boas ações, um bom estigma visual, mas não bastante, as constatações aqui não diferem muito do que um homem pequeno, franzino, espinhento e sem dinheiro, teria chances com uma mulher cobiçada, pois vida não é um filme e isso não acontece regularmente. E diante disso, devemos ponderar sobre as condicionantes que fazem mulheres se digladiarem para ter um homem. Podemos descrever esse fenômeno proporcionalmente a popularidade do indivíduo. Homens populares são cobiçados seja quando são populares devido a feitos louváveis ou por sua beleza, ou quando ocorre por ambas razões, e são sem sombra de dúvidas, alvo das mulheres que cultuam esse tipo de homem idealizado como um arquétipo máximo do tipo de homem que deve ser exaltado. Mas popularidade significa por si só uma minoria, não tem como todos serem igualmente populares. Estamos falando de uma irrisória e inexpressiva população que detêm tal status e consegue engajar milhões de seguidores. E como este artigo não é feito para essa classe de homens, resta ao homem comum encontrar formas de exalar tais condicionantes que homens famosos possuem. Pode soar mesquinho, porque poderíamos estar falando de homens como jogadores de futebol e isso soa extremamente fútil, e ao meu ver, realmente é, mas o ponto em que eu quero chegar é algo muito mais profundo que alcança o inconsciente coletivo. Um jogador de futebol famoso está para sua popularidade no auge, assim como um guerreiro herói Ateniense estava com sua popularidade com seus conterrâneos há 2500 anos, o que muda é a realidade imposta aos indivíduos. Em tempos de guerra, sejam antigas ou modernas, heróis florescem e eles sempre são cobiçados por mulheres. Líderes nascem, e são sempre cobiçados por mulheres. Sobre como Hitler e outros líderes e ditadores recebiam milhões de cartas do mundo inteiro de admiradoras como citei no começo. Esses homens criaram rupturas enormes no mundo, seja um Guerreiro Herói, que na realidade ateniense seguia o arquétipo do Guerreiro Herói o ente exaltado, assim como jogadores de Futebol famosos que criam rupturas em favor de seu país ou time em que joga, propiciando vitórias. Assim como um líder, sendo autoritário ou não, sendo aclamado pelo o povo, esbanja uma popularidade imensa e poder que possibilidade rupturas sociais fortes. Isso instiga no geral as mulheres que sempre procuraram por esse tipo de homem. Esses homens sempre foram cobiçados porque exalam segurança, um furor de alguém destemido, que faz o que precisa ser feito, de alguém hábil, saudável, imponente, algo além do mundano. Entenda que no auge de Hitler, por exemplo, este era praticamente visto como um ser profético, além de qualquer coisa humana. Isso são motivos de sobra para emplacar a superioridade de homens populares no que diz respeito aos interesses femininos. E essas condicionantes encontradas em homens famosos também ocorrem em homens não famosos. São replicadas de forma parecida porque tais homens não-famosos agem da mesma forma que tais líderes ou homens que criaram rupturas históricas. Então perceba a intensidade e a importância de condicionantes estéticos no que diz respeito a forma que a mulher o enxergará. Mas a estética é somente a porta de entrada. Você pode conseguir a atenção inicial de mulheres através da estética, e quando me refiro a estética, não me refiro necessariamente só a beleza, mas o conjunto da obra que exala tais condicionantes que dissertamos anteriormente. Talvez um jovem belo rapaz, porém tímido, acuado não consiga emplacar da mesma forma que um rapaz de beleza mediana, mas que consegue estabelecer pontes comunicativas entre pessoas e propiciar rupturas sociais dentro do seu convívio diário.

Então quando vemos muitos desses incels, ou homens no geral que acabam participando de movimentos que renegam o relacionamento feminino, é perceptível e entendível a sua crítica, mas o padrão encontrado é sempre de muita frustração interiorizada, e isso quando admitem tais frustrações e preferem o exílio do que tentar mudar. Mas o tipo encontrado nesses meios são homens de beleza duvidosa, estatura baixa, franzinos ou gordos, tímidos, sem vida social saudável, contendo uma vida em que sua totalidade é quase toda virtual, por exemplo. Essa gama de homens, dificilmente conseguirá o afeto de uma mulher. Estão jogando literalmente anos de sua vida fora, deixando de vivenciar emoções, sentimentos e experiências produtivas com as mulheres. Eu não estou aqui para delegar uma guerra entre sexos, pois isso é idiotice, mas clamar por um bom juízo entre as relações sociais quem embarcam o amor, a união, relacionamentos amorosos no geral é importante. Portanto, minha crítica embarca não somente ao Incel, como estou afirmando agora, como ao feminismo em si, na qual sempre combati ferrenhamente. Aos que me conhecem de longa data, sabem que sempre tive posições de caráter conservador. Resta ao homem, que quer seguir tais condicionantes, um entendimento até político do que o rodeia para evitar justamente esses enfoques atuais da contemporaneidade, que delegam que você aja de forma X para agradar mulheres politizadas, está na verdade, muito distante do que elas realmente apreciam num homem. Então, como uma forma de completar o que eu disse anteriormente, esse constructo social da mulher política, é nada mais nada menos do que um efeito contemporâneo, mas ainda muito refém das normas que sempre existiram entre homens e mulheres. Não há como escapar disso facilmente.

Eu lhe pergunto, caro leitor, porque uma mulher deveria se envolver com você?

Quais são suas qualidades que deveriam fazer as mulheres armarem filas atrás de você pedindo uma chance?

Provavelmente não há, se me permite a sinceridade. E isso não significa necessariamente que você esteja em demérito. Eu não saberia exprimir em palavras a mesma pergunta alguns anos atrás, embora eu tenha qualidades como ser humano, mas relacionamentos não são baseados em seu currículo. Não por uma questão meramente comportamental ou até profissional, mas sobre você não ser bom o bastante porque a realidade é assim até mesmo com os mais cobiçados pela as mulheres, tirando exceções, talvez como músicos famosos, atores e esportistas, mas o homem singular, que vive em sociedade não vai ter esse reconhecimento confirmado pela as mulheres correndo atrás de você naturalmente por conta de uma popularidade inexistente. Não espere que as oportunidades correrão atrás de você, como se o destino lhe devesse uma linda ruiva clamando por sua atenção. O que pode ser feito e você deverá fazer é criar as situações favoráveis para conseguir conhecer alguma mulher interessante para que ocorra uma troca de interesse mútua e recíproca até consequentemente estabelecer um relacionamento amoroso.

Após entender isso tudo, temos o homem que entende a sociedade em que está inserido, muito diferente daquele que afirmava saber como se comportar com as mulheres e quer agir como um Lorde do século XV com elas, tentando impor uma condição já não-mais existente em cima delas, pois já não se importam mais com os valores do passado. Isso é fruto de uma ilusão de querer impor uma narrativa de mundo em algo que não faz mais sentido hoje, embora seja atrativa a ideia e seja em algum ponto romântico, entendo que até possa existir momentos em que um grau de cordialismo classista tem seu charme próprio, mas a realidade está muito aquém dessas convenções sociais antigas.

Aquilo que cega o viciado em sexo é o mesmo que cega o frustrado com as mulheres causando repulsa.

 

 

As tais ações que instigam as mulheres e que se mantiveram ao longo dos milênios não são valores propriamente ditos, mas as ações dignas de alguém destemido. As aproximações entre um típico marginal, delinquente, bandido a um Guerreiro herói destemido são inúmeras, existe todo o arquétipo do herói dentro de uma favela, e um traficante é exaltado com um símbolo e exemplo dentro das comunidades. Por isso que chefes de morros costumam ter inúmeras mulheres a sua disposição. E nem precisam ser coagidas, elas vão por interesse mesmo. Muitas mulheres de Classe média alta, inclusive.

E muitos jovens movidos por dinheiro e mulheres, entram no mundo para serem heróis naquela sua realidade em que vivem. Assim com carreiras que envolvam o ato do heroísmo, mas quando falamos de relações entre homens e mulheres, aquele que consegue maior aptidão com as mulheres são justamente aqueles que agem de acordo com tais aptidões que estimulam tais condicionantes.

Os jovens desta geração podem usufruir facilmente do sexo fácil e sem compromisso. Isso é um ponto interessante a se analisar, pois se pararmos para observar, podemos identificar uma série de causas e respostas ligados a esse comportamento. De uma forma resumida poderia citar que a atual mentalidade dos jovens e jovens adultos de hoje contribuem em:

1- para a geração que menos faz sexo desde 1900

2-Repudio do ideal do casamento

3-Queda na taxa de natalidade

4-Desestabilidade nos casamentos atuais e grandes taxas de divórcios

Como estas coisas poderiam estar ligadas apenas pela a questão do sexo e as mulheres?

Bom, é simples quando paramos para pensar e refletir. O sexo antigamente não era necessariamente um tabu. Em estudos recentes, foi comprovado que o sexo era mais praticado antigamente do que atualmente proporcionalmente falando, mesmo sendo hoje uma era de sexualidade livre. Mas como isso é possível? O motivo para isso é bem claro e até lógico. Os relacionamentos duradouros, sejam casamentos e namoros tendem a fazer mais sexo do que aqueles que são solteiros e prezam pela a liberdade do sexo livre. Casais fazem mais sexo por semana do que solteiros e isso é fácil de presumir. É complicado fazer sexo com 3 pessoas desconhecidas por semana, enquanto é completamente normal casais fazerem sexo mais de 3 vezes por semana. A tão exaltada vida de solteiro e liberdade podem contribuir para uma falsa sensação de satisfação da necessidade sexual do homem que antes poderia ser suprida no começo, mas depois de um tempo não. Antigamente o homem era levado a se resguardar e esperar pela a mulher ideal e apenas desfrutar deste prazer após o casamento. Óbvio que ninguém era perfeito e nem todos realmente esperavam por isso, e era até comum os casos de relacionamentos escondidos, mas a questão da moral em condenar tais atos não faria disso uma política geral de um povo como um modismo. Podemos afirmar que a sociedade regularizava o sexo por assim dizer. Então as rupturas causadas na década 50-60 nos EUA e Europa contribuíram imensamente para esse imaginário social atual.

O sexo sempre foi algo superestimado pela as pessoas, pois era algo difícil e um ápice na vida de alguém, principalmente nas mulheres, diferente de hoje que é algo comum, mesmo que você estivesse num relacionamento escondido, como anteriormente dito, seria praticamente impossível ter o mesmo rendimento de um solteiro de hoje. A mentalidade das mulheres cooperava para essa dificuldade, pois se resguardavam bem mais do que atualmente, visto o feminismo atual que, por exemplo, clama pela a sexualidade livre e a falta de compromisso matrimonial, na visão feminina o sexo era intrinsecamente ligado ao casamento e a virgindade era a chave para isso. Então elas funcionavam como a remediadora do sexo, consideravam a virgindade um alto valor a ser conquistado e não um mero divertimento casual. Diante disso, podemos afirmar que a mulher é quem determinava o valor sexual, e o valor era alto. O valor consistia em casamento, filhos e toda uma vida. As mulheres almejavam um marido para quem se dedicar, para ser provida de segurança, fartura e bons filhos. Aqueles que almejavam a vida sexual livre antigamente eram criticados e repudiados pela a sociedade. A sodomia sempre foi bem criticada pela a moralidade da época de tempos em tempos. Então, temos o homem, um ser provido de muitos hormônios e vontades maçantes que sonha e acorda pensando em finalmente perder a virgindade e fazer sexo para suprir seus desejos carnais e a mulher que quer casar para suprir suas vontades e desejos parecidos. Tudo parece soar mais lógico e se encaixar, mas exige comportamentos sociais específicos e instituições para se manter sadia.  Tente compreender a complexidade agora, observe a mentalidade do homem de antigamente com a da atualidade. O homem de antes, que esperaria mais pelo o sexo, que almejaria o casamento como um contribuinte para o sexo, junto com o ideal de formar uma família, simplesmente romantizava todo este rito e a sociedade fazia o mesmo.  E essa espera crucial para o ato sexual criava uma sensação de ser o único, de ser especial por assim dizer. Então quando finalmente se casava e consagrava sua primeira experiência sexual, ele se satisfazia e a sensação de tranquilidade tomava conta da vida dele e até da esposa também. Ele era casado agora, ele tinha uma mulher, ele amaria essa mulher, ele vai ter filhos com essa mulher, poderia fazer isso para sempre e o faziam normalmente.  Repare como tudo isso parece contribuir para um casamento longo e estável, mas isso não ocorre mais atualmente porque existe sempre uma válvula de escape disponível. A facilidade de contornar, desistir na primeira dificuldade transforma tudo em algo mais fácil de ser esquecido. O almejo do sexo eterno com várias mulheres não aparecia com tanta frequência como é hoje. E o divórcio era mal visto, como uma desonra eterna que carregaria durante a sua vida. Atualmente, pode até ser visto como algo triste, chato e que traz mágoas, mas é normal e isso destruiu o casamento.  O Sexo bem consentido no casamento é ilimitado por assim dizer, e não é à toa que antigamente era normal ter mais de 6 filhos por casal, pois o sexo era comum e recorrente nos casais. As pessoas faziam mais sexo, pois sentiam prazer nisso e tinham a tranquilidade de estarem casadas.  Um acompanhava o outro para sempre como uma grande jornada, realizando suas obrigações e funções na sociedade. Isso contribuiu para casamentos de antigamente serem mais duradouros, férteis e estáveis do que os de hoje onde a média de duração do casamento passou para apenas 6 anos e a taxa de natalidade a 0,3 filhos por casal na Europa, por exemplo. Seria um número risível se não fosse trágico.

É tão absurdo dizer que um homem não pode amar a mesma mulher toda a vida, quanto dizer que um violinista precisa de diversos violinos para tocar a mesma música. – Honoré de Balzac

 

Adquire o livro Semper Viri agora!

Pré-venda de nova tiragem já disponível

Geon Tavares

Autor Geon Tavares

Aristocrata, fundador desta organização, escritor e fotógrafo nas horas vagas. Sonha em restaurar o glorioso Império Romano.

Mais Artigos de Geon Tavares